Homossexuais encontram libertação na Paz e Vida

terça, 01 de julho de 2014 às 17:01

O Projeto de Lei da homofobia (PL 122/2006), que tramita no Senado brasileiro, pode privilegiar o homossexualismo. Destinada a proteger quem opta por atitudes e práticas homossexuais, ela não é tão inofensiva como parece.

Para defender e amparar pessoas que até agora se sentiram marginalizadas, corre-se o perigo de violentar a quem pensa e age diferente. Se aprovado, o projeto criará situações constrangedoras para cristãos que agem segundo o Evangelho de Deus.

Assim, um Pastor que condenar o homossexualismo, poderá ser julgado por “ação constrangedora de ordem moral, ética, filosófica ou psicológica”. A decisão de reitor, por exemplo, de não admitir no seminário um candidato homossexual poderá lhe acarretar de três a cinco anos de reclusão.

Pelo que tudo indica, a partir da vigência do decreto de lei, além dos direitos fundamentais garantidos pela Constituição Federal a todos os cidadãos brasileiros, os homossexuais terão privilégios garantidos por sua opção sexual.

Em contrapartida, todos aqueles que não se conformam com comportamentos homossexuais, deverão silenciar ou preparar-se para ocupar uma cela em algum presídio do país.Se já agora as organizações homossexuais, com o apoio do governo e o aplauso da mídia secular, conseguem, junto ao Poder Judiciário, indenizações significantes por “danos morais”, ninguém imagina o que poderá acontecer caso o decreto-lei seja aprovado.

O que diz a Bíblia
A Palavra de Deus diz que o homossexualismo é abominação e torpeza ao Senhor: Romanos 1: 26 e 27, “Por causa disso, os entregou Deus as paixões infames; porque até as mulheres mudaram o modo natural de suas relações íntimas por outro, contrário à natureza; semelhantemente, os homens também, deixando o contato natural da mulher, se inflamaram mutuamente em sua sensualidade, cometendo torpeza, homens com homens, e recebendo, em si mesmos, a merecida punição do seu erro”. E Levítico 18: 22, “Com homem não te deitarás, como se fosse mulher; é abominação”. 

Várias “igrejas” que aceitam o homossexualismo surgiram nos últimos tempos. Mas a Bíblia é bem clara com relação à salvação para quem permanece na prática homossexual: Provérbios 28: 13,  “O que encobre as suas transgressões jamais prosperará; mas o que as confessa e deixa alcançará misericórdia”. Ezequiel 33: 14 – 16, “Quando eu também disser ao perverso: Certamente, morrerás; se ele se converter do seu pecado, e fizer juízo e justiça, e restituir esse perverso o penhor, e pagar o furtado, e andar nos estatutos da vida, e não praticar iniqüidade, certamente, viverá; não morrerá. De todos os seus pecados que cometeu não se fará memória contra ele; juízo e justiça fez; certamente, viverá”. I Coríntios 6: 9 e 10, “Ou não sabeis que os injustos não herdarão o reino de Deus? Não vos enganeis: nem impuros, nem idólatras, nem adúlteros, nem efeminados, nem sodomitas, nem ladrões, nem avarentos, nem bêbados, nem maldizentes, nem roubadores herdarão o reino de Deus”. 

Libertação
Jesus condena o homossexualismo, mas ama e quer dar a sua salvação ao homossexual. João 10: 10b, “Eu vim para que tenham vida e a tenham em abundância”. Vida em abundância tem encontrado quem vai à Comunidade Cristã Paz e Vida ter um encontro com o Senhor Jesus. Assim foi com Amanda Fernandes dos Santos. A jovem conta que freqüentava bailes funks, usava vários tipos de drogas até começar a ter relacionamentos homossexuais. Ela chegou a ser ameaçada de morte pelo namorado de uma de suas “amantes”. Amanda foi para São Paulo, onde foi acolhida por uma família da Paz e Vida. 

“O Pastor começou a profetizar a minha vida inteira. Ele dizia que lá havia uma visitante que sempre assistia aos cultos e que Deus estava me chamando, que eu deveria sair da lama. Porém, eu insistia que aquilo não era comigo. Um dia, eu disse que se Deus estava falando comigo, que Ele viesse diretamente a mim para dizer tudo aquilo. Então, o Pastor chamou  todos à frente do púlpito para fazer uma oração. Eu senti o meu corpo como se estivesse sendo levantado por alguém e fui até o púlpito. Naquele momento, o Pastor veio até mim, colocou a mão sobre a minha cabeça e disse que Deus estava me libertando naquele momento de todos os meus vícios e de todo o meu homossexualismo, e que eu não era daquele jeito, que Deus me ama e me faz nova criatura. Naquele dia eu entreguei meu coração e aceitei a Jesus”, alegra-se Amanda.

Outro caso recente de libertação do homossexualismo é o de Cláudio Soares, do Distrito Federal. 

“Em pouco tempo eu percebi que a vida gay era um lixo. Tudo não passava de sexo, depressão, promiscuidade, solidão, bebidas, drogas, euforia, traição, traição, traição... eu cheguei ao fundo do poço. Tentei suicídio. Tornei-me alcoólatra (bebia até desmaiar). Minha vida virou um montão de lixo. Eu me sentia um grande estúpido, enganado pelos sentidos, pelos instintos e pelo discurso falso e fraudulento de que "ser gay é normal". Aprendi na prática que "ser gay" é furada! Felizmente, aos 22 anos, eu já estava completamente desiludido com tudo aquilo e só queria morrer... eu não sabia que era possível mudar. Assim, em meio ao desespero do estilo de vida gay e do vazio do comportamento homossexual, decidi arriscar tudo: falei para Deus que eu o seguiria para o resto da minha vida se ele mudasse três coisas em minha vida: minha forma de pensar, andar e falar. Eu não tinha religião. Eu odiava os crentes. Ainda assim, por "coincidência", ouvi uma pregação de um pastor evangélico que me tocou bastante. Ele disse algo simples, lógico e profundo: "Você só pode saber se sua vida agrada a Deus se você souber o que O agrada". Aquilo foi uma bomba na minha mente. No dia seguinte, comecei a estudar a Bíblia SOZINHO e tudo mudou. Completamente! Quatro anos depois eu me casei e já faz seis anos que estou casado. Jamais tive uma "recaída" e não sinto atração por  homens. Não tenho fantasias homossexuais e vivo excelentemente bem com minha mulher e minha filha”, conta Cláudio.

Jesus veio para libertar os cativos
Um cristão que proíbe um homossexual de entrar numa igreja evangélica não trabalha em prol do reino de Deus, pois Jesus veio para libertar os cativos e sarar os doentes. A igreja é o “hospital” de Deus, onde encontramos a cura para as nossas dores. Fechar as portas a um homossexual ou a qualquer outra pessoa seria como um médico negar atendimento.  
Jamais o cristão irá compactuar com a prática do homossexualismo, porque o crente verdadeiro vive sob o domínio de Cristo Jesus, debaixo daquilo que está escrito nas Escrituras Sagradas. E a Bíblia condena a prática do homossexualismo, tanto no Antigo como no Novo Testamento. 

Realmente homofobia é crime, mas o homossexualismo também é crime não na lei dos homens, mas na lei de Deus.

Estaria certo o projeto contra a homofobia que tramita no Congresso Nacional, se toda exigência dos homossexuais fosse contra a discriminação. Acontece que usando de esperteza, algumas organizações GLBTS, inseriram nesse documento que se encontra em Brasília, verdadeiras aberrações, a ponto de quererem tirar dos púlpitos aquilo que está escrito na Bíblia Sagrada, o único livro inspirado por Deus. É para isso que os senadores devem atentar. 

Caso este Projeto de Lei seja aprovado, quem prega a palavra de Deus, que anuncia as virtudes daquele que veio nos tirar das trevas para luz, não poderá levar a mensagem Bíblica na sua íntegra. Ele terá que passar por cima de alguns trechos da Bíblia só para agradar a uma minoria que decidiu se rebelar contra o Senhor Jesus, porque a eles não agrada ouvir a verdade que liberta. 

Mas os senadores precisam atentar para Apocalipse 22: 18 – 19, “Eu, a todo aquele que ouve as palavras da profecia deste livro testifico: Se alguém lhes fizer qualquer acréscimo, Deus lhe acrescentará os flagelos escritos neste livro; e se alguém tirar qualquer coisa das palavras do livro desta profecia, Deus tirará a sua parte da árvore da vida, da cidade santa, e das coisas que se acham escritas neste livro”.

Para o deputado Rodovalho Carvalho (DEM-DF) projeto de lei dá poderes ditatoriais a uma minoria. “Se um funcionário for dispensado de uma empresa, por exemplo, pode alegar homofobia e o dono da empresa vai ser preso por crime hediondo, inafiançável. Queremos trazer um projeto para proteger todas as minorias".
Quem deseja se manifestar contrário ou quiser mais informações sobre o PL 122, deve ligar para o Alô Senado: 0800-612211.

 

 

 

Marcia Pinheiro

Por: Pregadores do Telhado