Jovem é curada de câncer devastador

terça, 01 de julho de 2014 às 16:57

A ONU – Organização das Nações Unidas – e diversos organismos internacionais recomendam que nos países pobres, onde não há assistência médica para todos, as orações façam parte do tratamento dos doentes. Até as autoridades de saúde de países ricos incentivam a prática da fé. Eles comprovaram que, além de curas completas, os doentes que receberam orações tiveram uma recuperação mais rápida do que aqueles que não as receberam.

No livro Quando Não Dá Mais...o Presidente da Comunidade Cristã Paz e Vida, Pastor Juanribe Pagliarin, fala da importância do exercício da fé e das orações para se alcançar grandes objetivos de vida como, por exemplo, uma saúde perfeita. Segundo o autor, você não precisa aceitar as coisas como elas vêm, se tem o poder de mudá-las.

Um dos vários casos relatados em Quando Não Dá Mais...é o da jovem Sandra, de 24 anos. Cheia de vida e feliz, ela tinha lá as suas preocupações. Mas nada relacionado à saúde. Por isso, quando começou a ter uma tossezinha, acompanhada de uma pequena dor no peito e falta de ar, ela nem deu muita importância. No entanto, os sintomas persistiram e Sandra achou melhor procurar um médico.

Sandra só começou a desconfiar de algo pior quando o médico a encaminhou ao Instituto de Medicina Nuclear. Ali, tomada pelo nervosismo, a jovem estendeu o braço e uma substância radioativa chamada Gálio 67, na forma de citrato de gálio, foi injetada na sua corrente sangüínea.

Os médicos esperaram que a substância se acumulasse nos tecidos e órgãos possivelmente afetados. Imagens tomográficas foram se formando na tela, em vários ângulos, e revelaram a localização exata de tumores ativos no pulmão, no estômago, no pescoço e nas axilas de Sandra.

O receio de Sandra aumentou quando um dos médicos disse-lhe que seria necessário remover um dos gânglios linfáticos para uma biópsia. A parte escolhida foi a sua axila. Sandra viu quando os médicos extraíram o gânglio: era quase do tamanho de um ovo de galinha. Em seguida, os médicos avaliaram as alterações do tecido, o estágio da doença e o quanto ela já havia se espalhado pelo corpo de Sandra.

O diagnóstico: Linfoma de Hodgkin. Os médicos mapearam cuidadosamente os tumores e chegaram à conclusão de que nenhuma cirurgia poderia ser realizada. Sandra recebeu a trágica notícia e não conseguiu se conformar: um câncer maligno, de modo veloz e silencioso, havia se espalhado por todo o seu corpo.

Foi devastador! Um misto de tristeza e revolta surgiu dentro dela. Sandra se perguntava: “Sendo tão jovem, como aquilo era possível?”. Ademais, não havia um só caso de câncer na sua família! Qual a explicação para aquilo? O que foi que ela fez para receber tal infortúnio? Sandra se perguntava: “Por quê?”.

Não demorou muito para que os sintomas se agravassem: febre intermitente, suor noturno, coceira no corpo, falta de ar, tosse, perda de peso, inapetência, náusea. E, na mente, a pergunta que não queria calar: “Por que comigo?” A tristeza parecia não ter fim.

Três meses depois

Sandra retornou ao Instituto de Medicina Nuclear de Campinas e novos exames foram realizados:

“PACIENTE: SANDRA CRISTINA CAMPOS

PESQUISA DE CORPO INTEIRO COM GÁLIO 67

Imagens estáticas nas projeções anteriores e posteriores do corpo inteiro. Imagens tomográficas do tórax e abdômen foram obtidas após 48 horas da injeção venosa de citrato de gálio 67. Observe-se a distribuição fisiológica do radiofármaco. Interpretação: ESTUDO NEGATIVO PARA METÁSTASES”.

Os médicos ficaram surpresos. Compararam os novos exames com os anteriores, de três meses antes: todos os tumores, representados nos primeiros exames por centenas de pontos pretos nas regiões das axilas, pescoço, estômago e pulmões desapareceram completamente!

Os médicos não conseguem acreditar na explicação dada por Sandra. Tampouco sabem explicar como, em apenas três meses, tudo desapareceu!

Mas em Quando Não Dá Mais...você vai descobrir e entender como este e outros casos tiveram um desfecho vitorioso. O autor Juanribe Pagliarin convida o leitor a interagir com o céu para superar problemas na Terra.

 

 

 

 

Marcia Pinheiro

Por: Pregadores do Telhado