Reflexão sobre o Ano Novo

quarta, 30 de dezembro de 2015 às 14:00

 

Você já deve ter lido inúmeras reflexões sobre o Ano Novo mas poucas devem conter a abordagem abaixo. Te convido a conhecer uma pouco sobre a história de Oséias. Leia:

Apenas iniciando, a história de Oséias é tão antiga quanto os montes e tão recente como as dos jornais atuais.

‘Oséias’ significa ‘salvação’, e por si já relataria grande parte do seu ensinamento.

Oséias escreveu no 8º século a.C. (de acordo com os reinados citados em 1:1), coincidindo com a mesma época dos trabalho de Amós (1:1), Isaías (1:1) e Miquéias (1:1).

Encontramos um contexto onde o povo se considerava bom e próspero, mas estava apodrecendo, tamanha era a imoralidade, idolatria e injustiça em seu meio. O foco das profecias de Oséias era o mesmo que Amós: Israel. Enquanto Isaías e Miquéias pregavam mais a Judá.

A infidelidade espiritual do povo nos últimos anos do reinado de Israel é o foco principal desse livro, sendo comparada ao pecado de adultério. Em todo o enredo de Oséias é revelado, na relação de Oséias e sua esposa, o relacionamento de Deus com a Sua Igreja.

O sucesso e tudo quanto Israel tinha era vindo das mãos de Deus, mas eles atribuíam suas conquistas a Baal.

Assim como Oséias batalha por seu casamento, mesmo sua esposa sendo adúltera, assim entendemos quando Israel (e o povo de Deus, de maneira geral) começa a se envolver com outros deuses e ocorre o adultério espiritual. Vale lembrar que, aqui, outros deuses não são considerados apenas como outras religiões, mas sim tudo aquilo que ocupa a atenção, dedicação e domínio sobre você. Israel representa a prostituta Gomer e Deus e Sua Graça Redentora a Oséias.

Os nomes dos filhos de Gômer, sua esposa, também são bem significativos e representam os diversos momentos da relação de Deus com Israel: Jezreel (Deus espalha/semeia - provavelmente revele os planos de Deus para Israel), Lo-Ruama (Desfavorecida, Não-Amada – pode sugerir a rejeição do marido de Gômer  pois era filho de relação extraconjugal, ou de Deus sobre Seu povo) e Lo-Ami (Não-Meu-Povo, também tem relação com o caso anterior: rejeição de Deus por Israel).

Porém, diante de tantos detalhes, podemos dizer que esse livro expõe o coração de Deus, que lida com a infidelidade do Seu povo com graça, paciência, misericórdia e estabelece uma nova aliança.

Mesmo Gomer escolhendo voltar à prostituição e se frustrando, Oséias não desiste da amada e a compra no mercado de escravos.

Que tenhamos sempre essa mensagem em nossa mente: por meio do sangue de Jesus, que nos comprou da vida de escravidão que é o pecado e a condenação, a aliança com Deus se torna possível e Ele sempre terá um coração amoroso, paciente e misericordioso para nos conceder graça e perdão, mediante o arrependimento.

Busque mais a Deus nesse próximo ano e enquanto se pode achar! Aproveite que Ele te aceita e quer te mudar! Faça você um Ano Novo de novidade de Vida em Cristo!

 

Camila Bianchi

Por: Admin