Especialistas ensinam o que fazer em caso de febre em crianças

quarta, 29 de julho de 2015 às 11:35

 

O Bem Estar desvendou os mitos e verdades sobre a febre. A febre é um sinal de alerta! De que algo está errado com o nosso corpo. Por isso, não podemos descuidar. Mas quando tomar o antitérmico, procurar o médico? Quem tirou as dúvidas sobre o tema foram as convidadas do dia: a consultora e pediatra Ana Escobar e a infectologista Rosana Richtmann.

A febre nada mais é que uma temperatura de 37,5ºC para cima, mas nem sempre é um sinal de infecção. Inflamação, medicamentos e até excesso de sol e de agasalhos podem dar febre. Ela é um mecanismo de defesa, em que o corpo eleva a temperatura para combater agressores.

De acordo com a doutora Ana Escobar, o antitérmico deve ser usado a partir de 37,5ºC de febre. Ela também alerta que é preciso agasalhar a criança se ela estiver com frio e tremer. “Se estiver tremendo é porque a temperatura está subindo”. A infectologista Rosana Richtmann lembra que os remédios contra febre são de venda livre, mas o ideal é toma-los com orientação médica. Todos têm risco e benefícios e nem sempre é necessário medicar a febre.

E na hora do banho, qual a temperatura ideal: quente, morno ou frio? “O banho não precisa ser frio, porque é muito desconfortável e pode fazer mal. O ideal é o banho morno”, explica a pediatra.

A febre não é uma doença, mas um sintoma. Preste atenção ao que vem com ela – falta de ar, confusão mental e dificuldade para ficar em pé são sinais de alerta e necessitam de atendimento médico de emergência. Se depois da febre a pessoa estiver disposta, está tudo bem, mas se ela durar mais de três dias é preciso investigar.

 

Fonte: G1

Por: Admin