"Depois de 3 abortos, 5 cirurgias, 3 anestesias gerais e 2 Raquidianas, o sonho de ser mãe se realizou!"

sexta, 09 de junho de 2017 às 10:19

Quero compartilhar com vocês meu testemunho:

Nossa luta começou há 3 anos quando decidimos fazer cumprir o propósito de Deus em nossas vidas “Uni-vos e multiplicai-vos”, só não sabíamos que não seria fácil.

Em novembro de 2014 fiz o teste de gravidez sozinha e me segurei para contar ao meu esposo. Resolvi fazer a primeira surpresa e, no dia do aniversário dele, o presente foi uma mamadeira embrulhada! Choramos juntos e nossos corações não cabiam de tanto amor! Contamos pra todos a nossa alegria, mas infelizmente um mês depois descobrimos que o coração do nosso anjinho não havia se formado.

Não acreditávamos no que estava acontecendo e questionávamos o porquê. Sem entender o propósito de Deus, continuamos firmes em suas promessas. Fiz a cirurgia de curetagem e contamos aos amigos e familiares a nossa perda (e como foi difícil dar essa noticia!). Difícil é a dor da perda! Difícil contar para as pessoas e o mais difícil ainda era olhar para meu esposo e não saber se poderia um dia te dar um filho.

Esperamos mais 5 meses e veio o segundo positivo. Ah! Quanta alegria! E eu querendo que aquele momento fosse especial novamente, então, em viagem levei o teste para uma praia paradisíaca e enterrei na área. Pedi para meu esposo procurar o tesouro perdido. Ele achou que estava brincando, mas começou a escavar a areia. Achando o teste, seu sorriso ia de orelha a orelha e mais uma vez nossos corações transbordavam de alegria. Mas como sofremos muito da primeira vez, resolvemos não contar a ninguém e esperar o período de 3 meses, Um pena que, com 2 meses, descobri que era uma gestação anembrionária (onde o embrião não se forma) e lá foi eu novamente para outra cirurgia. Como foi difícil entrar no centro obstétrico mais uma vez e saber que não era para ter meu filho e sim para tirá-lo! Sofremos muito juntos e nos confortamos. Foi menos dolorido não ter que contar à todos nossa perda, mas era difícil ouvir as pessoas perguntando quando engravidaria sendo que tinha acabado de perder outro bebê.

Dois meses se passaram e quando achávamos que estava tudo bem, os médicos suspeitaram de uma gestação molar (uma doença que poderia evoluir para um câncer). Fui direcionada a uma equipe de oncologia do hospital e novamente fui submetida à outra cirurgia, mas Deus mais uma vez mostrou seu amor quando os exames deram benignos. Assim, começaram as baterias de exames e estudos genéticos, mas nada foi constatado. Não tínhamos problema algum! Simplesmente eram os planos de Deus para nossas vidas.

Esperamos pacientemente no Senhor e após 5 meses fomos agraciados com um novo positivo! Dessa vez, foi uma surpresa. Estava no meu emprego novo e não sabíamos se nos alegrávamos ou se tínhamos medo do que iria acontecer, então apenas entregamos a Deus. Estava indo tudo bem, ouvimos o coraçãozinho pela primeira vez... Quanta emoção foi aquele dia! Mas a felicidade não durou pouco: um tempo depois descobrimos que meu bebê havia morrido dentro de mim e minha dor era ainda maior. Me culpava por não ser uma mulher completa que pudesse ter filhos e sofria com as cobranças “Olha, não vai demorar para engravidar... Já esta ficando velha”. As pessoas não sabiam o quanto sofrimento já havia passado. E lá fui eu novamente para mais uma curetagem, onde a dor física também já era grande.

Mas firme com Deus superamos e quando achamos que tinha acabado, meu médico descobre que estava com Sinequia (quando o endométrio gruda) e fui obrigada a operar novamente.

Questionava a Deus porque ele deixava eu engravidar se não fosse para ter o meu filho. Porque ele havia confirmado a mim que iria fazer em minha vida assim como fez com Ana e as coisas não aconteciam? Orei muito e pedi que se não fosse para ser mãe que Deus tirasse esse desejo do meu coração, mas ele não tirava. Na verdade, só confirmava cada vez mais que me daria a herança do Senhor.

Muitos podem até me julgar por não ter compartilhado com meus amigos, com a família, com a minha própria mãe, sogra e irmãs, mas preferi passar por isso sozinha com o apoio do meu esposo. Sofri menos sem ter que falar sobre minhas perdas toda hora. Muitas vezes deixei de ir a lugares porque estava internada, ou em recuperação e apenas inventava desculpas. Só Deus sabe o que passei e se não fosse Ele e meu esposo, que foram meu alicerce, não sei se suportaria tudo.

Pedi a Deus que não permitisse que eu sofresse mais, e que só engravidasse se fosse realmente para ter meu filho saudável. Hoje, descobri que tenho trombofilia, tomo uma injeção por dia na barriga, e tenho a certeza que chegou a minha hora.

Depois de 3 abortos, 5 cirurgias, 3 anestesias gerais e 2 Raquidianas, o sonho se realizou! Uma longa espera que enfim passou! Os nossos corações parecem explodir de amor!

Hoje nós somos 3, estou grávida e Deus mais uma vez mostrou que realmente é bom o tempo todo!

Glórias a Deus que em todo tempo foi FIEL e esteve ao nosso lado!

 

Vanessa Ferreira Dias da Silva - SÃO PAULO

Por: Admin